Entrevista com Raíssa Palheta: incentivo ao desenvolvimento de novos profissionais de monitoramento em Belém

raissa-palheta-monitoramento-muvuca

São Paulo concentra a maioria dos cursos e treinamentos voltados para a formação de profissionais de monitoramento. Este fato se deve a quatidade de profissionais na cidade. Só em 2014, na pesquisa de mapeamento do mercado de social analytics, haviam mais de 50% dos profissionais da área em São Paulo. Por conta disso adoramos ver iniciativas fora da capital paulista para formar mão de obra e expandir a quantidade de profissionais.

raissa-palheta-homem-grooverUma dessas iniciativas é a oficina de Monitoramento de Redes Sociais que será ministrada pela Raíssa Palheta durante a Muvuca Na Cumbuca 2015. Raíssa é coordenadora de marketing digital na NRT – Grupo Norte de Comunicação. Ela também é formada em comunicação social – publicidade e propaganda.

Conversamos com a Raíssa para saber o que ela irá mostrar em sua oficina e como ela enxerga o mercado de monitoramento de mídias sociais em Belém.
HG: Belém é uma cidade onde os profissionais de Social Media entram no mercado pela porta do conteúdo e muitos atuam exclusivamente com conteúdo, qual seria o motivo de você incluir o monitoramento dentro da sua atividade de atuação?

Raíssa: Porque o monitoramento é fundamental pra traçar uma boa estratégia de mídias sociais e conseguir planejar um conteúdo que seja realmente relevante para o público da marca. A partir dele, é possível identificar as forças e as fraquezas da empresa (e dos concorrentes) através do que as pessoas falam dela, encontrar caminhos pra melhorar os posts, criar campanhas efetivas, gerenciar crises e o principal: gerar resultados.

HG: Na sua opinião, por que ainda temos poucos profissionais atuando nessa área na cidade?

Raíssa: Acredito que seja porque a maioria dos profissionais que trabalham como social media são de publicidade e jornalismo e não existe nada na grade dos cursos que foque em métricas e análise, o que acaba criando essa distância da área. Também tem o fato de que, com a exceção Yesbil que tem cursos muito bacanas, não temos muitas opções de cursos específicos.

HG: Estão começando a surgir cursos e palestras de Monitoramento em Belém, inclusive, nós editores do blog já ministramos alguns, mas é a primeira vez que vemos uma oficina de monitoramento dentro de um evento acadêmico de comunicação na cidade. Como você vê essa iniciativa da Muvuca em trazer esse tema para dentro da universidade?

Raíssa: Vejo da forma mais positiva possível! Incentivar o desenvolvimento profissional da área é essencial pro nosso mercado crescer e, quem se qualifica, se diferencia.

HG: O que a galera pode esperar da sua oficina na Muvuca?

 

muvuca-2015

 

Raíssa: A ideia principal da oficina é mostrar como interpretar os dados do monitoramento e criar soluções pros clientes. Então, os muvuqueiros podem esperar aprender sobre métricas de cada rede e dicas de ferramentas legais pra colocar tudo em prática!

A Muvuca Na Cumbuca é semana acadêmica dos estudantes de comunicação da UFPA. Será de 01 a 03 de outubro em Belém. Mais informações acesse o blog do evento aqui.

(Visited 154 times, 1 visits today)

Blog focado em monitoramento e métricas de mídias sociais.

Compartilhe!

Um comentário sobre “Entrevista com Raíssa Palheta: incentivo ao desenvolvimento de novos profissionais de monitoramento em Belém

Deixe uma resposta